SÉRIE ESPECIAL

IRÃ OCIDENTAL

RETORNAR

Voltar para Série Especial

IMPRIMIR

Abre arquivo em PDF

ESTOU INTERESSADO

Abre formulário de contato

CONHEÇA O TOUR COMPLETO

SAÍDA

31 DE AGOSTO A 20 DE SETEMBRO DE 2022

De Teerã às tórridas planícies do Cuzestão, passando pela costa do Mar Cáspio e atravessando as grandes cordilheiras de Alborz e de Zagros e diversas zonas climáticas, esta viagem por doze das trinta e uma províncias do Irã leva ao fascinante Oeste iraniano, região de fronteira - o itinerário passa na divisa com o Azerbaijão e perto da Armênia, da Turquia e do Iraque - e de imensa diversidade étnica e cultural, terra de inúmeros povos com suas próprias tradições, línguas e histórias que se entrelaçam.

Várias civilizações tiveram capitais ou grandes centros aqui e, enquanto seus impérios ascendiam e ruíam, deixaram sua marca nesta área que concentra quase a metade do Patrimônio da Humanidade em território iraniano.

Uma viagem concebida para viajantes interessados em conhecer o Irã a fundo: as montanhas, as florestas, as plantações de chá, as praias e a culinária do Guilão, o Grande Bazar de Tabriz, o antigo mosteiro armênio de Santo Estêvão, o lago salgado de Úrmia, o mausoléu do mongol Oljeitu, as cavernas de Ali Sadr, as ruínas de capital meda de Ecbatana, as tumbas de Ester e de Daniel, o zigurate de Choqa Zanbil e a fortaleza sassânida de Falak-ol-Aflak, o “Castelo dos Castelos”, são alguns dos pontos altos deste tour raríssimo a esta região extraordinária

1º DIA -31 DE AGOSTO DE 2022, QUARTA-FEIRA:

Teerã

Chegada, traslado sem acompanhamento de guia para o hotel e alojamento após 15:00. Restante do tempo livre.

 

2º DIA -1º DE SETEMBRO DE 2022, QUINTA-FEIRA:

Teerã

Manhã livre para descanso.

Teerã é a cidade mais moderna do Irã, tanto em termos de infraestrutura e tecnologia como de estilo de vida. Antes do mergulho na história que começa no dia seguinte, à tarde será realizada uma excursão pelos bairros do Norte, os mais modernos da vibrante capital iraniana, com parada no parque Ab-o-Atash (Água e Fogo) para passeio na ponte de pedestres Tabi’at (Natureza), um intrincado e brilhante projeto arquitetônico com restaurantes e espaços abertos que se tornou um popularíssimo local de lazer. A excursão passa também pela Torre Milad de Rádio e Televisão, um dos símbolos de Teerã, e inclui visita ao surpreendente Iran Mall, atualmente o maior shopping center do mundo em área construída.

 

3º DIA- 02 DE SETEMBRO DE 2022, SEXTA-FEIRA:

Teerã, Rey

Excursão de dia inteiro à antiquíssima cidade de Rey, hoje absorvida pela área metropolitana da Grande Teerã. Conhecida na Antiguidade como Rhagés e Rhagae, citada na Bíblia e no Avesta, Rey ficava na rota entre o Leste e o Oeste do país, era uma etapa da Rota da Seda e teve importância histórica considerável em vários períodos da história persa até sua completa destruição pelos mongóis no século XIII.

Entre os monumentos que sobreviveram até nossos dias estão as muralhas reconstruídas do Castelo de Rey, da época médica, e a Torre de Tugrul, do século XII, tumba de Tugrul Bey (Tughril), o príncipe-falcão, fundador do Império Seldjúcida. Também em Rey fica o santuário de Shah Abdol-Azim, importante local de peregrinação xiita construído ao longo de vários séculos, onde, além do sábio islâmico epônimo do século IX, estão enterradas outras autoridades islâmicas e o xá Naser al-Din Qajar (Naceradim Cajar), que foi assassinado aqui mesmo em 1896.

 

4º DIA- 03 DE SETEMBRO DE 2022, SÁBADO:

Teerã – Qazvin – Fumã

Pela manhã, saída de Teerã para Qazvin (Gasvim, 153 km), atravessando no caminho a cidade de Karaj (Caraje), capital da província de Alborz, a mais jovem das 31 províncias do Irã, separada em 2010 da província de Teerã.

Excursão em Qazvin, capital da província homônima, agradável cidade que por mais de quarenta anos foi capital de todo o Império Persa, até o xá Abbas I, o Grande, transferi-la para Esfahan (Ispaão) em 1598. Em Qazvin encontra-se bem preservado o palácio Chehel Sotun (Quarenta Colunas), que serviu como residência real no período em que a cidade era capital da dinastia dos safávidas, mas a maior atração da cidade é sem dúvida o caravançarai Sa’d al-Saltaneh, um dos caravançasais urbanos mais bem conservados de todo o Irã, hoje transformado num acolhedor centro de artes, com lojas, ateliês, estúdios e cafés modernos e muito originais.

À tarde, continuação da viagem para Fuman (Fumã, 191 km), já na província de Gilan (Guilão), conhecida por suas praias, montanhas, florestas, lagoas, aldeias pitorescas com seu folclore característico, plantações de arroz e de chá e por aquela que muitos consideram a melhor culinária de todo o Irã.

Breve visita à cidade de Fuman, conhecida em todo o Irã pelo seu doce típico recheado de nozes e canela chamado kolutcheh fumani, caracteristicamente fininhos e sempre fresquinhos nas incontáveis lojas que os produzem, assam e vendem no centro da cidade.

Alojamento no hotel Moein, a 5 km da cidade, localizado no meio de uma plantação de chá na linda estrada para Massuleh

 

5º DIA -04 DE SETEMBRO DE 2022, DOMINGO:

Fumã – Masuleh – Rasht                                                                                     

Pela manhã, excursão à aldeia de Masuleh (27 km), passando por uma das estradas mais bonitas e verdes do Norte do Irã, através de florestas e aldeias de cartão postal.

Passeio a pé em Masuleh uma das aldeias mais fotogênicas de todo o Irã, com sua arquitetura única de casas construídas na montanha que lembram degraus de uma gigantesca escada, em que o pátio em frente a uma casa costuma ser o teto da casa de baixo, e servem como áreas para passagem de pedestres como se fossem ruas, sendo completamente vedado o trânsito de qualquer veículo motorizado. O turismo tem peso considerável na economia desta simpática aldeia, com o comércio do artesanato local, como as bonecas de pano de cores e tamanhos variados, e das conservas artesanais produzidas na aldeia, como picles e molho de romã, constituindo importante fonte de renda para os moradores locais.

Após o passeio, saída (61 km) para a moderna e sofisticada capital da província de Gilan, a vibrante cidade de Rasht, historicamente um grande centro de comércio e transporte na rota do Irã para o Cáucaso e a Rússia. Esta localização teve impacto determinante na história da região, que foi repetidas vezes ocupada por forças russas, tendo Rasht sido inclusive capital da efêmera República Socialista Soviética do Gilan entre 1920 e 1921. Uma das cidades mais progressistas do Irã, por suas relações principalmente com a França e o Reino Unido, Rasht era conhecida como o “Portão da Europa”, por seu clima subtropical úmido com muitas precipitações e relativamente pouco sol é chamada de “Cidade da Chuva”, e pela excelência da cozinha de Gilan, Rasht foi reconhecida pela Rede das Cidades Criativas da UNESCO em 2015 como “Cidade de Gastronomia”, com suas mais de 170 receitas regionais originais e seu modo de cozimento típico em potes de barro chamados gamaj.

Passeio pelo elegante centro da cidade, parcialmente transformado em área de pedestres, e alojamento

 

6º DIA -05 DE SETEMBRO DE 2022, SEGUNDA-FEIRA:

Rasht, excursão ao Museu do Patrimônio Rural de Gilan e a Lahijan

Pela manhã, excursão ao Museu do Patrimônio Rural de Gilan (20 km), um museu etnográfico a céu aberto dentro do Parque Florestal Saravan, onde várias casinhas tradicionais de madeira foram remontadas recriando sete aldeias que reproduzem diversas áreas culturais e arquitetônicas de Gilan.

À tarde, excursão à agradável cidade de Lahijan (38 km), famosa por suas plantações de chá. Noventa por centro do chá iraniano é cultivado na província de Gilan, e Lahijan é seu maior centro produtor. Visita à tumba de Sheikh Zahed Gilani, nos arredores da cidade, de arquitetura muito peculiar, um dos lugares de peregrinação mais populares de Gilan, e retorno a Rasht (52 km).

 

7º DIA- 06 DE SETEMBRO DE 2022, TERÇA-FEIRA:

Rasht – Bandar-e Anzali – Astara

Pela manhã, saída para Astara, na fronteira com a República do Azerbaijão, com visita no caminho à cidade de Bandar-e Anzali, maior porto iraniano no Mar Cáspio (179 km), com grande parte da viagem passando pela orla do mar.

Chegada a Astara à tarde, passeio à beira-mar e alojamento.

 

8º DIA -07 DE SETEMBRO DE 2022, QUARTA-FEIRRA:

Astara – Ardabil – Tabriz

Pela manhã, saída para Ardabil (85 km), capital da província homônima, que foi separada do Azerbaijão Oriental em 1993.

Visita ao mausoléu do xeque Safi al-Din, um dos monumentos arquitetônicos mais deslumbrantes de todo o Irã, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2010. O poeta, místico e mestre sufista Safi al-Din (1252-1334), discípulo preferido, herdeiro espiritual e genro do xeque Zahed Gilani, mudou o nome da ordem sufista fundada por seu sogro para Safávida (Safaviyya), que ao longo dos dois

séculos seguintes foi adquirindo poder político e militar e culminou com a fundação da dinastia que governou o Império Persa por mais de duzentos anos.

Continuação da viagem para Tabriz (212 km), capital da província do Azerbaijão Oriental, chegada no início da noite e alojamento.

 

9º DIA -08 DE SETEMBRO DE 2022, QUINTA-FEIRA:

Tabriz

Dia inteiro dedicado à visita de Tabriz, com destaque para o histórico Grande Bazar, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2010, um dos bazares mais antigos do Oriente Médio e maior bazar coberto do mundo, um dos mais importantes centros comerciais da antiga Rota da Seda.

Entre as principais atrações turísticas da cidade, a Mesquita Azul, construída en 1465, quase totalmente destruída por um terremoto em 1773 e parcialmente restaurada, e o Museu do Azerbaijão.

 

10º DIA- 09 DE SETEMBRO DE 2022, SEXTA-FEIRA:

Tabriz, excursão ao Kandovan

Excursão a Kandovan, antiga aldeia ao pé do Monte Sahand com casas escavadas nos cones de pedra vulcânica chamadas localmente de karaans que lembram muito as vistas na Capadócia.

 

11º DIA -10 DE SETEMBRO DE 2022, SÁBADO:

Tabriz, excursão a Jolfa (excursão ao mosteiro de Santo Estêvão)-Khoi- Orumieh

Pela manhã, saída para a cidade de Jolfa, na Armênia Iraniana, que no passado concentrava grande parte da população armênia da Pérsia. Os conjuntos monásticos armênios do Irã incluem três igrejas construídas entre os séculos VII e XIV e foram coletivamente declarados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2008. Visita ao mosteiro de Santo Estêvão (Maghardavank), 15 km a Noroeste de Jolfa, na fronteira com a região de Nakhichevan, na República do Azerbaijão, também uma região de imensa importância para a história e cultura armênias, onde, infelizmente, ao contrário do patrimônio histórico e arquitetônico armênio do Irã, todos os vestígios da presença histórica dos armênio foram deliberadamente destruídos nos últimos trinta anos.

À tarde, continuação da viagem para Khoi, outra cidade de importância para a cultura armênia na região, e de lá para Orumieh, capital da província do Azerbaijão Oriental.

.

12º DIA- 11 DE SETEMBRO DE 2022, DOMINGO:

ORUMIEH – BONAB – TAZEH KAND-E NOSRAT ABAD 

Pela manhã, visita à igreja de Santa Maria em Orumieh (Úrmia), se não houver liturgia (não é permitida a visita turística durante o serviço religioso). A igreja de Santa María pertence à Igreja Assíria do Oriente, cuja considerável comunidade mantém vivas a língua, as tradições e a religião dos assírios. É considerada uma das igrejas mais antigas do mundo - segundo uma lenda local, os três reis magos eram sacerdotes do templo do fogo zoroastriano que funcionava originalmente no lugar, e converteram em igreja quando voltaram de Belém.

Em seguida, saída para Tazeh Kand-e Nosrat Abad numa bela viagem (386 km) que começa com a travessia do lago salgado de Orumieh, que estava encolhendo catastroficamente até atingir em 2017 apenas 10% da área e 1/60 do volume d'água que tinha em 1998 - hoje o Plano de Recuperação do Lago Orumieh está recuperando o lago, que voltou a encher gradualmente.

Parada na cidade de Bonab, cujo kebab gigante é conhecido e apreciado em todo o Irã com o nome de Bonab kebab.

Chegada a Tazeh Kand-e Nostat Abad no início da noite e alojamento num Eco Lodge.

 

13º DIA- 12 DE SETEMBRO DE 2022, SEGUNDA-FEIRA:

Tazeh Kand-e Nosrat Abad – Zendan-e Soleyman – Takht-e Soleyman – Behestan – Montanhas Coloridas – Zanjan

Pela manhã, visita a Takht-e Soleyman (Trono de Salomão), ruínas um dos três maiores  centros religiosos do Irã na época sassânida (224-651), quando a religião oficial do Império Persa era o zoroastrismo. Takht-e-Soleyman foi reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade em 2003.

Após a visita, viagem para Zanjan (200 km), passando pelo Castelo de Behestan, em Mahneshan, às margens do rio Ghezel Ozan, um dos mais longos do Irã. Parte da estrada para Zanjan acompanha o vale do rio Ghezel Ozan, muito bonito, e passa pelas Montanhas Coloridas (Aladaglar), montanhas multicoloridas que produzem um efeito visual maravilhoso quando iluminadas pelos raios de sol dourados do entardecer:

Chegada em Zanjan no início da noite e alojamento

 

14º DIA -13 DE SETEMBRO DE 2022, TERÇA-FEIRA:

Zanjan

Pela manhã, visita ao Museu Arqueológico de Zanjan, que funciona na bela mansão Zolfaghari, do início do século XX. As grandes atrações do museu são os célebres Homens de Sal de Zanjan: quatro das seis múmias dos períodos aquemênida (550 a.C. a 330 a.C.), parto (147 a.C. a 224 A.D.) e sassânida (224 a 651) encontradas entre 1993 e 2010 na mina de sal de Chehrehaba, a Noroeste de Zanjan, estão expostas neste museu, inclusive a de um adolescente e a de uma mulher. Além dos corpos mumificados pelo sal e pela sequidão extrema do ar da mina, inúmeros artefatos e trezentos fragmentos de tecido bem conservados foram encontrados.

Em seguida, visita ao museu antropológico Rakhtshui Khaneh, ou Casa da Lavagem de Roupa, que funciona nas instalações subterrâneas do início do século XX onde as mulheres da cidade iam lavar roupa; manequins com indumentária da época ilustram como era o procedimento.

À tarde, visita ao Grande Bazar de Zanjan, muito comprido e relativamente estreito, há quase duzentos anos o coração comercial da cidade; aqui se pode comprar de tudo, de telefones celulares de última geração aos tradicionais artigos do rico e variado artesanato local, como as afiadas facas de Zanjan, os típicos calçados femininos chamados charugh, objetos de cobre feitos a mão e, principalmente, a delicada filigrana de ouro, prata e cobre.

No fim do dia, visita à mesquita Hosseinieh Azam, que, com seus característicos minaretes e cúpula dourados, e um dos lugares de maior importância espiritual para os xiitas da província de Zanjan. Todos os anos, dois dias antes do Ashura, maior celebração religiosa do xiismo, em torno do Hosseinieh Azam de Zanjan realiza-se uma grande procissão de luto que reúne até meio milhão de pessoas.

 

15º DIA- 14 DE SETEMBRO DE 2022, QUARTA-FEIRA:

Zanjan – Soltanieh – Gruta de Ali Sadr – Hamedan

Pela manhã, saída para a antiga capital ilcânida de Soltanieh e visita ao mausoléu do ilcâ mongol Oljeitu, um dos monumentos de arquitetura mais espetaculares de todo o Irã, construído entre 1302 e 1312 e declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2005. Com estimadas duzentas toneladas de peso e 49 metros de altura, sua cúpula é a terceira maior cúpula de tijolo do mundo, atrás apenas da catedral de Santa Maria del Fiore de Florença, de Brunelleschi, e da catedral de Santa Sofia de Constantinopla.

Prosseguindo, cruzamos a fronteira da província de Zanjan com a de Hamadan, uma das regiões com o passado mais rico do Irã.

Visita à Gruta de Ali Sadr, a maior gruta alagada do mundo, no interior da qual corre um rio e há vários lagos grandes e profundos e até ilhas subterrâneas. O passeio é feito alternadamente a pé por passarelas e caminhos bem demarcados e em barquinhos puxados por pedalinhos. Um casaco pode ser necessário, porque a temperatura dentro da caverna é sempre de 16ºC.

Continuação da viagem para a capital da província de Hamadã, a histórica cidade de Hamadã. Chegada no início da noite e alojamento.

 

16º DIA -15 DE SETEMBRO DE 2022, QUINTA-FEIRA:

Hamedan

O dia inteiro é dedicado à visita da cidade de Hamadan, a antiga capital meda e aquemênida de Ecbatana, cujos vestígios arqueológicos se conservaram na colina Hagmataneh, transformada em museu, que se comunica com a praça principal Imã Khomeini por uma animada rua de pedestres onde fica o bazar. Da praça Imâ Khomeini, projetada no moderno plano urbanístico de 1929 do engenheiro alemão Karl Frisch, irradiam seis movimentadas ruas comerciais pelas quais é agradável passear.

Entre as principais atrações da cidade estão quatro mausoléus: o da família Alevian, do século XII, famoso por sua ornamentação de estuques com motivos florais retorcidos acrescentados na era do Ilcanato mongol (séculos XIII-XIV), o de Avicena (Abu Ali Ibn Sina), poeta, astrônomo, geólogo, geógrafo, teólogo, filósofo, matemático, físico, alquimista e o pai da medicina moderna, o do dervixe Baba Taher, místico e poeta, personagem emblemático de Hamadan do século XI muito querido pelos habitantes a cidade, e o dos personagens bíblicos Ester e seu tio Mordecai, o luigar de peregrinação mais importante para os judeus do Irã. Nos arredores da cidade, o Ganjnameh são duas inscrições cuneiformes da época dos aquemênidas Dario I (522 a.C. a 486 a.C.) e de seu filho Xerxes (486 a.C. a 465 a.C.) que os locais acreditavam conter informações secretas que levariam à descoberta de um tesouro escondido, daí o nome Ganjnameh, que significa “Livro do Tesouro”.

 

17º DIA -16 DE SETEMBRO DE 2022, SEXTA-FEIRA:

Hamedan – Kangavar – Bisotun – Kermanshah

Pela manhã, saída para a província de Kermanshah (Quermanxá), na fronteira com o Iraque, celebrada desde a Antiguidade por sua beleza, suas plantações de cereais e seus pastos, hoje habitada principalmente por curdos e luris. A moderna estrada de Hamadan a Kermanshah passa exatamente pelo trajeto da antiga Rota da Seda e por um trecho da Estrada Real Persa de Dario I que conectava as capitais da Babilônia e da Média.

Neste caminho histórico, rápida parada em Kangavar para visita às ruínas de datação incerta consideradas por alguns estudiosos os restos de um templo da Antiguidade dedicado à deusa Anahita, figura cosmológica indo-iraniana venerada como divindade das águas e associada à fertilidade.

Um pouco adiante na estrada, parada mais longa para visita ao Complexo Histórico e Cultural de Bisotun, aos pés do monte do mesmo nome na Cordilheira de Zagros. Um dos sítios arqueológicos mais importantes do Irã, com inscrições aquemênidas de Dario I, uma estátua de Héracles que é a única estátua de pedra que sobreviveu do domínio selêucida no Irã (312 s.C. – 140 a.C.) e inscrições da época os partos e dos sassânidas. Fundamentais para a decifração dos caracteres cuneiformes, as inscrições de Dario I têm o mesmo texto escrito em persa antigo, elamita e acádio, e foram declaradas Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Continuação da viagem até a capital da província, a cidade de Kermanshah, parada importante para os peregrinos iranianos que se dirigem às tumbas do imã Ali, em Najaf, e do imã Hussein, em Karbala, ambas no Iraque. Com história agitada como a de todo o Oeste Iraniano, Kerrmanshah foi fundada pelos sassânidas, conquistada pelos árabes em 640, destruída pelos mongóis no século XIII e depois ocupada várias vezes pelos otomanos – a última, de 1915 a 1917, durante a Primeira Guerra Mundial. Muito próxima ao Iraque – a fronteira fica a apenas 80 km – Kermanshah sofreu terrível devastação na guerra Irã-Iraque de 1980-1988. Os habitantes da cidade de Kermanshah falam um dialeto do curdo, sendo o persa usado pelos locais somente para se comunicarem com os peregrinos que passam pela cidade a caminho do Iraque e outros forasteiros.

Imediatamente ao chegar a Kermanshah, visita ao Taq-e Bustan (Arco do Jardim), um dos mais bonitos conjuntos artísticos sassânidas do Irã, com baixos-relevos de temas históricos entalhados em profundos nichos em forma de arcos escavados no pé de um penhasco. Alojamento após a programação do dia

 

18º DIA -17 DE SETEMBRO DE 2022, SÁBADO:

Kermanshah – Shushtar

Este ano, 17 de setembro é o dia do Arbain (quarenta, em árabe), quadragésimo dia depois do Ashura, que é o dia em que o terceiro imã dos xiitas e neto de Maomé, Hussein ibn Ali, foi martirizado na batalha de Kerbala, episódio que cimentou o cisma entre as vertentes xiita e sunita do Islã, no ano de 680. A peregrinação anual de Arbain até o túmulo do Imã Hussein em Kerbala, no Iraque, é uma das maiores concentrações de pessoas do mundo. Como o Arbain é uma das datas mais sagradas no calendário muçulmano xiita, é um importante feriado de luto no Irã, quando bazares, museus e praticamente todas as atrações turísticas permanecem fechadas, exceto alguns lugares de culto, cuja visita é condicionada a permissão da autoridade islâmica responsável.

Caso a autorização seja concedida, visita às tekieh Mo’aven ol-Molk e Biglar Beigi pela manhã. Tekiyeh são locais onde os xiitas se reúnem no luto pelo imã Hussein no primeiro mês do calendário islâmico, Muharram, com encenações da batalha de Karbala e outras teatralizações religiosas. O tekieh Mo’aven ol-Molk é um dos mais bonitos de todo o Irã, e o tekieh Biglar Beigi é conhecido pela maravilhosa decoração interior com espelhos.

À tarde, viagem (416 km) até a cidade de Shushtar, na província do Cuzestão, uma das regiões históricas mais importantes do antigo Oriente Próximo, conhecida pelos historiadores como Elam, a terra dos elamitas, ou Susiana, por sua antiga capital, Susa, hoje na cidade de Shush. Como a província de Kernanshah, o Cuzestão é localizado na fronteira com o Iraque e é etnicamente muito variado, sendo os árabes o grupo mais numeroso, seguido dos persas e dos luris e bakhtiaris, mas há ainda minorias de qashqais, afexares, mandeus e armênios.

 

19º DIA -18 DE SETEMBRO DE 2022, DOMINGO:

Xustar – Choqa Zanbil – Haft Teppeh – Shush – Dezful – Khorramabad

Dia dedicado à visita de três famosos sítios arqueológicos do Cuzestão, todos reconhecidos pela UNESCO Patrimônios da Humanidade.

O dia começa com um passeio na cidade de Shushtar, às margens do rio Karun, único rio navegável do Irã, que corre por 950 km da sua nascente na cordilheira de Zagros até desembocar no rio Shatt el-Arab, que se forma no Iraque da confluência dos rios Tigre e Eufrates. Visita ao sistema hidráulico histórico de Shushtar, que em sua forma atual remonta ao século III, mas provavelmente começou a ser construído no século V a.C. por ordem de Dario, o Grande, e está parcialmente em uso até hoje. O sistema inclui o castelo Salasel, que servia de centro de controle de todo o complexo, a torre Kolsh-Farangi, onde o nível da água era medido, moinhos, pontes e represas, e foi inscrito no Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2009 como “uma obra-prima da engenhosidade criativa”. A Barragem de César (Band-e Kaisar), também parte do sistema hidráulico histórico protegido pela UNESCO, é a obra mais oriental de engenharia romana do mundo, tendo sido construída pelos soldados e engenheiros capturados junto com o imperador romano Valeriano após sua catastrófica derrota na batalha de Edessa (260 A.D.).

A segunda visita do dia é ao fabuloso zigurate de Tchoqa Zanbil (Dur Untash na língua elamita), a capital religiosa dos antigos elamitas, construída por volta de 1250 a.C. e dedicada ao deus Inshushinak, o primeiro sítio iraniano a ser declarado Patrimônio da Humanidade, em 1979.

O terceiro Patrimônio da Humanidade a ser visitado no dia é o sítio arqueológico de Susa, o centro mais importante da civilização elamita, capital de inverno do Império Aquemênida e uma das cidades do antigo Oriente Próximo. Muito pouco sobrou para testemunhar in situ a grandeza de Susa na Antiguidade, já que a maioria dos achados arqueológicos foi levada pelas sucessivas expedições arqueológicas francesas que escavaram o sítio e estão hoje no Museu do Louvre, mas um pequeno museu local exibe alguns objetos de pedra e cerâmica encontrados nos sítios arqueológicos da região. Ainda em Shush, visita à tumba de Daniel, personagem bíblico contemporâneo de Nabucodonosor II da Babilônia e de Ciro II, o Grande. Seis cidades alegam ter a tumba de Daniel, mas a de Shush é a mais famosa e a mais amplamente reconhecida, sendo local de peregrinação tanto de judeus quanto de muçulmanos há muitos séculos.

No fim da tarde, deixando o Cuzestão, a viagem continua para Khorramabad (Corramabade, 218 km), capital da província do Lorestão, terra dos luris, povo que constitui a maior parte da população das maiores cidades desta província multiétnica habitada também por curdos, lakis e lutis.

O trajeto deste dia cruza mais de uma vez os trilhos da Ferrovia Transiraniana, que corta o país do Golfo Pérsico ao Mar Cáspio em 1394 km de estradas de ferro com 360 pontes e 224 túneis, uma façanha da engenharia que é o mais recente Patrimônio da Humanidade reconhecido pela UNESCO em território iraniano – o quarto visto no dia, mas esta já é outra viagem...

Chegada à noite e alojamento.

 

20º DIA -19 DE SETEMBRO DE 2022, SEGUNDA-FEIRA:

Khorramabad – Arak – Aeroporto Internacional Imã Khomeini de Teerã

Pela manhã, visita à grande fortaleza Falak-ol-Aflak, uma das construções mais importantes da era sassânida (224 a 651), no alto de um morro no centro de Khorramabad. Após ter sido usada como prisão até 1968 pela dinastia Pahlavi, a fortaleza foi transformada em museu.

Após a visita, saída para o hotel Remis, localizado em frente ao Aeroporto Internacional Imã Khomeini, na província de Teerã (423 km), com parada no caminho em Araque (Arak), antigamente chamada Sultanabad, capital da província de Marcazi (Central), apelidada de “Capital Industrial do Irã”. Desde o final do século XIX, Arak e a província de Markazi são um dos maiores centros produtores de tapetes para exportação do Irã, cujo design e combinação de cores foi criado para atender ao gosto e às encomendas dos clientes europeus e, principalmente, norte-americanos, sendo a primeira vez que os ocidentais alteraram a tradição milenar de tecelagem de tapetes persas.

Atravessando a província de Qom, chegada ao hotel Remis no início da noite e alojamento.

Chegada à noite e alojamento.

 

21º DIA 20 DE SETEMBRO DE 2022, TERÇA-FEIRA:

Aeroporto Internacional Imã Khomeini de Teerã

Check-out do hotel até meio-dia.

Em horário apropriado, traslado sem acompanhamento de guia para o aeroporto fornecido gratuitamente em minivan pelo Hotel Remis em intervalos regulares e fim dos nossos serviços.

 

VISTO DE TURISMO

É indispensável portar Visto de Turismo para o Irã. Consulte custos, prazo e documentação necessária. Portadores de Passaporte diferente do Brasileiro, favor consultar.

 

PASSAGEM POR ISRAEL

Não é permitida no Irã a entrada de qualquer cidadão cujo passaporte registre passagem por Israel.

 

VACINA DE FEBRE AMARELA

É recomendável portar Certificado Internacional de vacina contra a Febre Amarela.

 

VESTUÁRIO

No Irã, em função da Lei Islâmica, mulheres devem sempre usar lenço/hijab. Sapatos abertos não são permitidos, tampouco pernas expostas, decotes e blusas de manga curta. Os braços devem permanecer cobertos. Não se deve usar roupas que “marquem” o corpo- peças justas como, por exemplo, calças legging. Homens devem evitar o uso de camisetas sem manga, shorts ou bermudas - dando preferência à calças compridas em todas as ocasiões.

 

CONDIÇÕES DE CANCELAMENTO

  • A mais de 30 dias do início da excursão; retenção de 20% do valor da Parte Terrestre;
  • A menos de 30 dias do início da excursão; retenção de percentuais superiores aos acima referidos, desde que correspondentes a gastos efetivamente comprovados pela agência perante a EMBRATUR, efetuados em decorrência da desistência do usuário.

PARTE TERRESTRE

POR PAX EM APTO DUPLO

USD 4.440

SUPLEMENTO APTO SINGLE

USD 1.290

IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

Incluído


HOTELARIA

  • 3 pernoites em Teerã hotel Simorg(4*), com café da manhã;
  • 1 pernoite em Fuman no Hotel Moein(4*) com café da manhã;
  • 2 pernoites em Rasht no Hotel Kadous(4*) com café da manhã;
  • 1 pernoite em Astara no Hotel Espinas(4*) similar), com café da manhã;
  • 3 pernoites em Tabriz no Hotel Shahryar(5*) com café da manhã;
  • 1 pernoite em Orumieh no Hotel Ana, com café da manhã .
  • 1 pernoite em Takab no Hotel Ater(Ecolodge) com café da manhã;
  • 2 pernoites em Zanjan Grand Hotel Of Zanjan(4*) com café da manhã.
  • 2 pernoites em Hamedan no Hotel Baba Taher(4*), com café da manhã;
  • 1 pernoite em Kermanshah Hotel Persian(4*)com café da manhã.
  • 1 pernoite em Khorramabad Hotel Rangin Kaman com café da manhã.
  • 1 pernoite no hotel  Remis(4*)no aeroporto Ika de Teerã, antes do voo de retorno ao Brasil.

FORMA DE PAGAMENTO:

30% de entrada + saldo em 10x sem juros em cartão de crédito. Taxas pagas junto da entrada.


OS PREÇOS INCLUEM:

  • Carta de visa-support (não é o visto – o custo do visto não está incluído)
  • Acomodação nos hotéis com café da manhã
  • Guia que fala inglês ao longo do tour (as explicações serão traduzidas para o português pelo guia-acompanhante)
  • Acompanhamento de representante da Rota da Seda Viagens e Turismo
  • Traslado de/para o aeroporto
  • Todo o transporte terrestre
  • Ingresso para as atrações turística visitadas
  • Uma garrafinha d’água por dia
  • Serviço de carregadores de bagagem nos hotéis onde este serviço seja disponibilizado
  • Seguro Viagem e Cancelamento Coris 60 Vip (ou similar) com cobertura até 60.000.. Cobertura para cancelamento de viagem (conforme condições) até 3.000. Coberturas serão expressas em: Euro nos países da europa, reais no Brasil e dólar americano nos demais países(**A opção pelo Seguro é facultativa, ficando reservado ao cliente o direito de não adquirir este Seguro – cujas respectivas coberturas e condições estão expressamente previstas no pacote de viagem. O cliente poderá optar, caso seja do seu interesse, por adquirir plano com coberturas diferenciadas, devendo, neste caso, nos consultar previamente sobre a possibilidade e respectivas condições)

OS PREÇOS NÃO INCLUEM:

  • Vistos de Turismo para portadores de passaportes emitidos por países para os quais visto(s) turístico(s) se façam necessários, nem serviço de despachante. Para este programa, portadores de passaporte brasileiro necessitam de visto para o Irã (consulte custos e documentação necessária). Portadores de passaportes emitidos por outros países, favor consultar.
  • Refeições não mencionadas no programa;
  • Bebidas durante as refeições incluídas no programa;
  • Licença para fotografar e/ou filmar em áreas públicas e/ou privadas sempre que necessária;
  • Despesas de caráter pessoal, tais como bebidas, souvenires, lavanderia, gorjetas etc;
  • Perdas ou despesas devido a imprevistos, como cancelamento de voos e barcos, doença, acidentes, bloqueios de estradas, intempéries, pandemias, etc;
  • Gorjetas para os guias e motoristas;
  • Excursões, passeios, visitas e espetáculos OPCIONAIS que constem ou não no programa e sejam oferecidos pelos guias durante a viagem;
  • Qualquer item não expressamente mencionado como incluso.

ESTÁ INTERESSADO(A)?

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.